terça-feira, 10 de julho de 2012

O modelo do discípulo

Basta olhar para a vida e o destino de Jesus para saber qual será a sorte de seus discípulos. Não haverá engano! As reações provocadas pela pregação de Jesus seriam também provocadas pela pregação dos discípulos. As perseguições desencadeadas por causa dos milagres do Mestre seriam também desencadeadas por causa do ministério apostólico a serviço da vida.
A certeza de gozarem a proteção do Pai do Céu devia fazê-los anunciar sem temor. Se o Pai cuida dos mais simples elementos da natureza, não haveria de se importar com os discípulos de seu Filho? Esta certeza dá-lhes forças para resistir. Afinal, eles devem temer somente o Pai, porque ele tem o poder não só de tirar-lhes a vida física, como fariam seus perseguidores, mas também de lançá-los na condenação eterna.
O discípulo medroso corre o risco de fraquejar e, num momento de tribulação, renegar o Mestre. Para aquele, está reservada a sorte de ser renegado por Jesus, quando se apresentar diante do Pai.

De certo modo, isto pode servir de referencial para a veracidade do nosso ministério. Se formos cobertos de honrarias e recebermos o reconhecimento dos grandes e poderosos, é sinal de que algo não está correto em nossa pregação.
- Pe. Jaldemir Vitório -

Envia Teu Espírito, Senhor,
e renova a face da terra!

4 comentários:

Tetê disse...

Oi Suzuki! Feliz de ter te encontrado no Manancial! Maravilhosa essa sua reflexão! Bjks Tetê

Brisa da Manhã disse...

Olá! Você sempre com maravilhosos posts! É muito bom vir aqui! Obrigada por sua visita! Beijos suaves da Brisa da Manhã

Pollyanna Monteiro disse...

Que alegria receber comentários e, com eles, o carinho dos amigos! Muito obrigada por sua visita! Graça e Paz! Beijos no seu coração. Polly

Anpara disse...

Olá! Passando para agradecer a visita ao Filosofando! Muito bom o post!Saúde e Paz. O resto a gente corre atrás! Bjs Ana Paula